Quem eram os profetas?

Autor da lição: Pr. John D. Barnett

texto básico: Deuteronômio 18.9-22

texto devocional: 2Pedro 1.16-21

versículo-chave: 2Pedro 1.21
“Porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana, entretanto homens santos falaram da parte de Deus movidos pelo Espírito Santo” 
alvo da lição
Mostrar as características e funções dos verdadeiros profetas do Antigo Testamento.

leia a Bíblia diariamente
seg 2Sm 7.1-7
ter 2Rs 2.1-8
qua 2Rs 4.6-17
qui Dt 18.15-22
sex Jr 23.9-40
sáb Mq 2.6-11
dom 2Pe 1.16-21
Introdução

“Havendo Deus, outrora, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, nestes últimos dias nos falou pelo Filho” (Hb 1.1‑2). A Carta aos Hebreus continua mostrando a supremacia de Cristo e a Sua obra redentora. Isso quer dizer que os profetas do Antigo Testamento são antiquados e obsoletos? De jeito nenhum! Mas na prática, se não na teoria, a maioria dos crentes acha que sim! O autor da Carta aos Hebreus ficaria horrorizado com esta ignorância! Muitas vezes ele faz referência aos profetas, para mostrar como suas palavras fortalecem a nossa compreensão da pessoa e obra de Cristo.

Como crentes afirmamos aceitar a Bíblia toda como a Palavra inspirada de Deus, mas o Antigo Testamento, que é quase 80% da Bíblia, é muito negligenciado. A maioria dos sermões pregados se baseia quase exclusivamente no Novo Testamento, com alguma referência aos Salmos. Não há dúvida de que a parte mais negligenciada do menos conhecido Antigo Testamento são os profetas menores. Muitos crentes não têm a mínima ideia a respeito do conteúdo dos profetas menores e da sua relevância para os dias de hoje. De fato, veremos que, apesar de todo o progresso na tecnologia moderna, o mundo dos profetas não é tão diferente do nosso!

Profetas Menores para hoje
Como há grande necessidade hoje de mensagens proféticas, denunciando a corrupção, as injustiças sociais, o abuso de autoridade, o afrouxamento dos padrões de moralidade e a frieza espiritual do povo de Deus – tão comum nas mensagens dos profetas menores!
I. Que é um profeta?

No Antigo Testamento, um profeta era alguém chamado por Deus para cumprir uma tarefa ou várias tarefas, especialmente a de entregar uma mensagem Dele. A grande característica da mensagem do profeta eram as palavras: “Assim diz o Senhor”. Deus chamou homens comuns, como você e eu, com personalidades diferentes, em situações bem diferentes, para fazer e dizer coisas diferentes. A seguir veja alguns termos usados para se referir a um profeta.
1. Homem piedoso

Às vezes o termo profeta se refere a pessoas piedosas que gozam de um relacionamento íntimo com Deus. Parece que esse é o uso do termo em Gênesis 20.7 em relação a Abraão.
2. Homem de Deus

Muitas vezes os profetas eram chamados “homem de Deus”, como em Deuteronômio 33.1 e 1Reis 13. O uso desse termo enfatiza a diferença de caráter entre o profeta e as demais pessoas. Isso se vê na maneira que a mulher sunamita falou do profeta Eliseu: “Vejo que este que passa sempre por nós é santo homem de Deus” (2Rs 4.9).
3. Um orador a quem foi confiada uma missão

Notamos que quando Deus chamou Moisés para ser o instrumento divino na libertação do Seu povo, Arão foi designado profeta – em outras palavras, o seu porta-voz – “Vê que te constituí como Deus sobre Faraó, e Arão, teu irmão, será teu profeta” (Êx 7.1).
4. Vidente e profeta se tornam termos sinônimos

No início havia uma distinção entre vidente e profeta, mas mais tarde eram termos sinônimos, como o autor do livro histórico de Samuel enfatiza – “Antigamente, em Israel, indo alguém consultar a Deus, dizia: Vinde, vamos ter com o vidente; porque ao profeta de hoje, antigamente, se chamava vidente” (1Sm 9.9).
5. Instrumento da comunicação Divina

Embora Deus tenha falado “muitas vezes, e de muitas maneiras… pelos profetas”, foi sempre o mesmo Deus que falou. Por causa disso notamos uma unidade no ministério e nas mensagens dos profetas. A grande responsabilidade de qualquer profeta era lutar para viver uma vida digna do seu ofício, com o objetivo de transmitir a mensagem divina para que o povo de Israel pudesse viver um relacionamento correto com seu Deus.

Note: Deve-se observar que no termo profeta não há nada que implique previsão de acontecimentos futuros. Um profeta pode predizer, ou não, o futuro segundo a mensagem que Deus lhe der. Um profeta é aquele que fala da parte de Deus ao homem.

Profetas Menores para hoje 
Você está disposto a entregar a mensagem de Deus hoje, onde Ele o colocou?
II. Variedade e unidade dos profetas

O Antigo Testamento mostra que a maneira como os profetas trabalharam foi diversificada
Alguns profetas trabalharam individualmente, totalmente independentes de outros profetas ou grupos proféticos. De fato, Elias sentiu-se tão isolado que achava que não existia outra pessoa que estivesse buscando a Deus (1Rs 19.10,14)!
Outros profetas se reuniram em “escolas de profetas” (2Rs 2.3-5;4.38; 9.1)
Às vezes a música era usada para ajudar no seu trabalho (1Sm 10.5‑6; 2Rs 3.15)
Às vezes o profeta se fundamentava em sonhos ou visões, mas Jeremias deixa claro que profetizar “eu tenho um sonho” não garantia que a mensagem era de Deus ( Jr 23.28‑32).
Apesar dessa variedade, os profetas estavam cônscios de que faziam parte de uma longa tradição, com a missão de chamar o povo de Israel de volta para Deus e de lembrá-lo da presença do Senhor na sua vida diária (Mq 6.8). Pelo exemplo da sua vida, o profeta tinha o dever de demonstrar a realidade do seu relacionamento com Deus.

Profetas Menores para hoje
Como servos do Senhor temos o dever também de demonstrar, por meio de nossa vida, como o relacionamento com Deus é real.
III. As características dos profetas

É interessante notar o que caracterizava o verdadeiro profeta do Senhor.
1. Chamada específica

O profeta recebia uma chamada específica. Notamos que a iniciativa da chamada para o ofício de profeta vinha de Deus:

a. Moisés (Êx 3.1-4)

b. Isaías (Is 6.1-10);

c. Jeremias ( Jr 1.4-19);

d. Ezequiel (Ez 1 a 3);

e.Oseias (Os 1.2);

f. Amós (Am 7.14-15).

O objetivo da chamada era levar o profeta à presença de Deus. Em outras palavras, o profeta apresentava-se perante os homens na qualidade de um homem que se apresentara perante Deus (1Rs 17.1; 18.15).
2. Consciência da história

O profeta tinha perfeita consciência da história. O Senhor enviou Moisés ao Egito já de posse de informações necessárias para interpretar os grandes acontecimentos que haveriam de ter lugar. O profeta tinha a capacidade de interpretar os acontecimentos históricos. Os profetas concordam que Deus é o Deus da história e está presente nos acontecimentos do dia a dia. É Ele quem controla o Universo, e, por isso, Sua palavra é de confiança absoluta.
3. Preocupação ética e social

O profeta tinha uma preocupação ética e social. Notamos como os profetas sempre denunciavam as injustiças e violências cometidas contra o povo. Havia essa grande preocupação com o bem-estar social. Veja a orientação dos profetas: Moisés (Dt 24.19-22; Lv 19.9-18) e Amós (Am 2.6-8; 5.11).
4. Aconselhamento e confrontação

O profeta tinha que aconselhar e, muitas vezes, confrontar reis. Muitas vezes o profeta tinha que desempenhar um papel ativo, próprio de estadista, nos negócios nacionais.

Vejamos exemplos disso no ministério de Natã (2Sm 7.1-7; 12.1‑15); de Isaías (2Rs 19.1-7, 20-37; 20.4-11); e de Eliseu (2Rs 5.11-14, especialmente v.6-8).
5. Pregação, proclamação e predição

O profeta combinava na pregação tanto proclamação como predição. Os profetas falavam por meio de advertências e encorajamentos concernentes ao presente e ao futuro. As conclamações ao arrependimento (Is 30.6-9) e os apelos à vida de santidade (Is 2.5) estão baseados na visão da ira vindoura divina.
6. Uso de símbolos

O profeta, às vezes, usava símbolos na entrega da sua mensagem. Jeremias e a botija de oleiro ( Jr 19.1); Ezequiel e o cerco (Ez 4.1-8).
7. Representante do povo

O profeta representava o povo perante Deus. Assim notamos esse aspecto intercessório do profeta (Êx 18.19; 1Rs 13.6; 2Rs 19.4). Mas, às vezes, o profeta era instruído a não exercer essa função de interceder pelo povo ( Jr 7.16; 11.14).
8. Homem da palavra de Deus

O profeta era primariamente um homem da palavra de Deus. Esta era a grande preocupação do profeta – transmitir fielmente a Palavra que tinha recebido do Senhor e que “permanece para sempre” (Is 40.8).

Profetas Menores para hoje 
O profeta se preocupava com a situação do mundo ao seu redor e com as injustiças e exploração humana. Você se preocupa com os problemas sociais do Brasil?
IV. Os falsos profetas

Deuteronômio 18.15-22 é um trecho importante para nosso estudo de profecia em Israel.
1. Falar em nome de Deus

Nem todos que afirmavam falar em nome de Deus eram reconhecidos no Antigo Testamento como profetas legítimos. Pessoas davam recados que de maneira nenhuma refletiam a vontade de Deus ou a palavra de Deus ( Jr 23.9-40; Mq 2.6-11).
2. Profecia verdadeira

Profecia verdadeira era distinguida de más práticas como adivinhação, feitiçaria, etc. (Dt 18.10-12). É bom observar a afirmação do Senhor: “Pois todo aquele que faz tal cousa é abominação ao Senhor” (v.12).

Profetas Menores para hoje
Qualquer pessoa que usa esses métodos de ocultismo e qualquer pessoa que fala em nome de qualquer outro deus, não é, e nunca deve ser considerada um profeta do Senhor (Dt 18.20).
3. Comprovação de profecia

Quando um profeta “falar em nome do Senhor, e a palavra dele se não cumprir nem suceder, como profetizou, esta é palavra que o Senhor não disse” (Dt 18.22). Jeremias enfatizou a mesma verdade: “O profeta que profetizar paz, só ao cumprir-se a sua palavra será conhecido como profeta, de fato, enviado do Senhor” ( Jr 28.9).
4. Profeta verdadeiro

A prova de um verdadeiro profeta não são seus milagres, mas sim a sua vida de santidade e a sua palavra que está em acordo com a revelação das Escrituras Sagradas (Mt 7.21-23.)
Conclusão

Cuidado com os muitos falsos profetas que pregam mensagens de paz e prosperidade.

1. Estou influenciado mais por milagres espetaculares do que por palavras proféticas que estão de acordo com a Palavra inspirada do Senhor?

2. Como profeta do Senhor, qual é a minha preocupação com as injustiças ao meu redor? Que posso fazer em termos práticos?

Autor da lição: Pr. John D. Barnett
>> Estudo publicado originalmente pela Editora Cristã Evangélica

Fonte: Ultimato
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Contatos

Nome

E-mail *

Mensagem *

TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
DEMAIS IDIOMAS

LOCALIZAÇÃO E PAÍSES DOS VISITANTES

Copyright © Macelo Carvalho | Traduzido Por: Mais Template

Design by Anders Noren | Blogger Theme by NewBloggerThemes