O poder da semente.


No meio evangélico, especialmente entre os neopentecostais; semente é sempre dinheiro, moeda de troca, valor monetário. Se for algo que não dá poder de compra, de barganha com Deus, algo que não sirva como instrumento de toma Lá dá Cá, então não é semente.
Nos evangelhos, entretanto, não é assim! Nos evangelhos semente é sempre semente, é o que se semeia na esperança de colheita.
Semente é tudo o que o coração humano dá com gratidão, com alegria, com esperança em fé. Mais do que isso é também tudo o que o ser produz como resposta boa e sincera diante das questões que a vida apresenta. Desse modo a semente pode ser um abraço, um beijo caridoso, um olhar motivador, uma palavra fraterna, um gesto de acolhimento, um perdão ao opressor, uma oração por alguém, uma ajuda a quem está caído, água a quem tem sede, comida a quem tem fome, agasalho a quem tem frio, família a quem é órfão, luz a quem esta em trevas; ou seja, semente é tudo o que Jesus disse que é, e é tudo o que ele fez deixando o mandamento; “Assim fazei vós também”.
E semente também pode ser porque não dinheiro, desde que deixemos de fazer deste um fim em si mesmo, mas um mero meio circunstancial.

Assim é com Jesus, assim era com os primeiros discípulos, assim deve ser conosco.
Mais do que isso, pra Jesus semente também é graça, é dom de Deus, é favor que ninguém merece.
Tanto é que Ele nos diz na parábola do semeador, que este saindo a semear deixou a semente cair em vários tipos de terrenos. Sim, o semeador, não deixa a semente cair apenas em terra boa, mas em qualquer terra.
Ora a beira do caminho, ora entre os espinhos, ou até mesmo em terreno rochoso, para o semeador não faz diferença. Para Ele o terreno não faz diferença, todo terreno é terreno, seja fértil ou não. Porque o que importa no reino mais do que a qualidade do terreno é o poder da semente.
Minha esposa e eu amamos plantas, cultivamos um jardim encantador, que tem desde árvores e flores variadas a inúmeras frutíferas. Em nosso jardim assim como a semente a terra faz diferença, ela precisa ser fértil rica em minerais, preta úmida, para que as sementes se desenvolvam com sucesso. Em todos os jardins, hortas, e plantações da terra é assim. Mas no reino de Deus não; porque no reino o que conta é a semente e o poder que dela advêm.
Isso porque é o poder da semente que transforma as propriedades do terreno, e não o contrário como quase sempre se aprende. É a semente do evangelho que converte qualquer terreno humano, em boa terra.
Os evangelhos são fartos de exemplos disso na vida de Jesus; Ele vai pra Galiléia dos gentios, que como o nome diz é dos gentios, dos pagãos é terra ruim, e lá Ele semeia a palavra da vida que transforma muita gente em terra boa. Ele semeia no gadareno endemoniado, no centurião casca-grossa, no chefe da sinagoga ritualista, na mulher siro-fenicia pagã, e em inúmeras pessoas que encontrou a beira do caminho, habitadas por espinhos e por pedras, mas que experimentaram o poder da semente.
A única tarefa que cabe ao terreno é responder positivamente a semente presente nele. Por que para que a semente caia em boa terra, basta que o terreno a deixe realizar a sua obra. No mais toda terra por si só é ruim, pedrada, espinhenta e improdutiva até que a semente encontre nela disposição para ser convertida em terra boa.

Nele que faz da gente terra boa,

Autor: Mardoni Leal do blog Confissões de vida e fé  Via: http://pvpd.blogspot.com
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Contatos

Nome

E-mail *

Mensagem *

TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
DEMAIS IDIOMAS

LOCALIZAÇÃO E PAÍSES DOS VISITANTES

Copyright © Macelo Carvalho | Traduzido Por: Mais Template

Design by Anders Noren | Blogger Theme by NewBloggerThemes