Homossexualismo.

Romanos 1.18-27
Introdução
O homossexualismo é um tema sempre atual e importante de ser tratado. É um problema mundial. Duas tendências atuais, às quais nos propomos a tratar, trazem enormes desafios para a igreja, que precisa ter uma posição clara e firme. A primeira tendência é a de considerar o homossexualismo apenas como uma "opção" sexual, como algo natural. A partir de 1973, a Associação Americana de Psiquiatria passou a afirmar que homossexualismo não é uma doença ou distúrbio de conduta, mas uma preferência sexual tão .válida quanto a orientação heterossexual.
Quanto a isso, é necessário que a igreja apresente os conceitos bíblicos sobre o homossexualismo ao mundo. O problema é que a igreja parece ter perdido o rumo ao tratar do homossexualismo. Em geral encontramos extremos. Podemos ver cristãos aprovando até mesmo a violência contra homossexuais e de outro lado crentes que desejam baixar a guarda e aceitar a homossexualidade como o mundo a entende.
Tem faltado equilíbrio e discernimento do ensino das Escrituras para abordar o assunto de maneira pertinente. Como tratar os homossexuais? Como preparar nossos filhos para enfrentar os meios de comunicação que influenciam grandemente a sociedade a encarar a homossexualidade como algo natural? A Bíblia é que nos instruirá sobre a postura que devemos tomar.
I. O Homossexualismo na Bíblia
A Bíblia apresenta passagens que abordam diferentes aspectos relacionados à sexualidade humana. A análise de algumas delas permitirá a formação de um pano de fundo para entender o homossexualismo na perspectiva de Deus, embora não haja muitas passagens na Bíblia que tratem especificamente do homossexualismo.
A. Homossexualismo no Antigo Testamento
 1) O homossexualismo diante da Criação[1][1]
O argumento mais contundente contra o homossexualismo se encontra nos dois primeiros capítulos de Gênesis, nos quais está registrado como Deus criou o mundo e os homens:
·                    A formação da família humana.
Deus criou uma mulher para o homem que lhe servisse de companhia e que lhe fosse complementar. Macho e fêmea os criou, e assim também criou os animais. Não eram dois homens ou duas mulheres, mas um homem e uma mulher.
A formação de "uma só carne" só seria possível desse modo, através da união sexual. A
relação homossexual não caracteriza a família porque contraria a própria natureza, conforme o apóstolo Paulo destaca na sua carta aos romanos: "semelhantemente, os homens também, deixando o contato natural da mulher, se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo, em si mesmos, a merecida punição do seu erro" (Rm 1.27).
O homossexualismo é, portanto, uma inversão da criação de Deus e uma agressão ao ser humano, porque o sujeita a uma prática para a qual ele não foi criado.
·                    A procriação
            O propósito da formação da família é a procriação: "Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra..." (Gn 1.28). Situa-se aqui uma das maiores frustrações dos homossexuais. A batalha que alguns travam para obter o direito de adoção caracteriza a tentativa de alcançar o que o Criador não lhes permitiu. É como uma tentativa de "driblar" aquilo que Deus estabeleceu;
Os dois textos bíblicos acima não se relacionam diretamente ao tema do homossexualismo, mas estabelecem princípios gerais para o exercício legítimo da sexualidade. Na relação homossexual esses dois princípios estabelecidos por Deus são desrespeitados: união de duas pessoas do mesmo sexo e falha na procriação.
2) Homossexualismo em Sodoma
Quando Deus enviou dois anjos para verificar a iniqüidade das cidades de Sodoma e Gomorra, eles se hospedaram na casa de Ló e os habitantes da cidade tentaram abusar sexualmente deles:
"Ao anoitecer, vieram os dois anjos a Sodoma, a cuja entrada estava Ló assentado; este, quando os viu, levantou-se e, indo ao seu encontro, prostrou-se, rosto em terra... Instou-lhes muito, e foram e entraram em casa dele; deu-lhes um banquete, fez assar uns pães asmos, e eles comeram. Mas, antes que se deitassem, os homens daquela cidade cercaram a casa e chamaram a Ló e lhe disseram: Onde estão os homens que, à noitinha, entraram em tua casa? Traze-os fora a nós para que abusemos deles" (Gn 19.1-5).
A tentativa de estupro só não foi consumada por interferência dos anjos, que cegaram os homens e retiraram dali a família de Ló antes de destruírem a cidade. Logo depois, a cidade foi destruída por Deus, e isso passou a ser um paradigma do julgamento de Deus sobre o pecado.
3) Homossexualismo em Gibeá
Um levita viajou até Belém de Judá para tentar se reconciliar com a sua concubina, que o havia abandonado e retomado à casa paterna. Depois de reconciliados, iniciaram a viagem de retorno ao lar.
Parando em Gibeá, uma cidade da tribo de Benjamim, eles encontraram hospedagem na casa de um homem do campo. Quando eles estavam se preparando para dormir, os moradores da cidade cercaram a casa e tentaram abusar sexualmente do levita.
"Retiraram-se para Gibeá, a fim de, nela, passarem a noite; entrando ele, assentou-se na praça da cidade, porque não houve quem os recolhesse em casa para ali pernoitarem. Eis que, ao anoitecer, vinha do seu trabalho no campo um homem velho... Então, disse o velho: Paz seja contigo... não passes a noite na praça. Levou-o para casa e deu pasto aos jumentos; e, tendo eles lavado os pés, comeram e beberam. Enquanto eles se alegravam, eis que os homens daquela cidade, filhos de Belial, cercaram a casa, batendo à porta; e falaram ao velho, senhor da casa, dizendo: Traze para fora o homem que entrou em tua casa, para que abusemos dele" Jz 19.15-22).
Os moradores de Gibeá pegaram a concubina do levita e a forçaram e abusaram dela a noite toda, até pela manhã, e a mulher veio a falecer em decorrência da violência. Seu marido a levou para casa e a esquartejou. Enviou seus pedaços aos líderes das tribos de Israel para denunciar aquele ato, o que provocou uma guerra, com milhares de  mortes e trágicas conseqüências para o povo de Benjamim.
Ressaltamos nessas duas horrendas experiências apenas o pecado do homossexualismo. Há outros problemas nas duas histórias acima que não compõem, necessariamente, o homossexualismo, como o estupro. As duas coisas são diferentes, no entanto, a quebra dos mandamentos de Deus nessas duas circunstâncias se mostra em vários aspectos e um deles é o homossexualismo.
4) A proibição de homem se deitar com outro homem
A lei de Deus proíbe a confusão na relação sexual. Uma das intenções de Deus é sustentar seus propósitos estabelecidos na criação para a manutenção da boa ordem mundial. O incesto, a bestialidade, o adultério e o homossexualismo são proibidos porque causam desordem.
Para o pecado do homossexualismo, a Bíblia emprega um forte termo - abominação que é utilizado para caracterizar que Deus repugna aquilo que contraria o seu propósito original.
A punição para a prática do homossexualismo era a morte: "Com homem não te deitarás, como se fosse mulher: é abominação" (Lv 18.22); "Se também um homem se deitar com outro homem, como se fosse mulher, ambos praticaram coisa abominável; serão mortos; o seu sangue cairá sobre eles" (Lv 20.13).
A pena capital não se aplica nos dias de hoje, mas o repúdio de Deus é o mesmo. Isso indica que o espírito da lei permanece vivo e ativo, pois Deus disciplina e pune a todos que desobedecem aos seus mandamentos.
II. Homossexualismo no Novo Testamento
  
2.1 Homossexualismo em Romanos 
Em sua introdução à Carta aos Romanos, o apóstolo Paulo inicia descrevendo a degradação humana como fruto da idolatria. Paulo escreveu contra a prática homossexual, considerando-a uma das seqüelas da quebra da relação do homem com Deus.
"Mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, bem como de aves, quadrúpedes e répteis. Por isso, Deus entregou tais homens à imundícia, pelas concupiscências de seu próprio coração, para desonrarem o seu corpo entre si; pois eles mudaram a verdade de Deus em mentira, adorando e servindo a criatura em lugar do Criador, o qual é bendito eternamente. Amém. Por causa disso, os entregou Deus a paixões infames; porque até as mulheres mudaram o modo natural de suas relações íntimas por outro, contrário à natureza; semelhantemente, os homens também, deixando o contato natural da mulher, se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo, em si mesmos, a merecida punição do seu erro... Ora, conhecendo eles a sentença de Deus, de que são passíveis de morte os que tais coisas praticam, não somente as fazem, mas também aprovam os que assim procedem" (Rm 1.23-32).
Há uma terrível revelação aqui. Deus entregou os homens para desonrarem seus corpos e sofrerem, neles mesmos, a conseqüência da corrupção. Isso ocorreu como resultado de não terem cultuado a Deus como ele merece.
Deus considera deixar de cultuá-lo como um grave delito. Talvez soe estranho e até condenável o modo de Deus fazer o que fez, pois conforme diz o texto, foi ele mesmo quem entregou os homens a essas paixões pervertidas. Homens se uniram com homens e mulheres com mulheres. Isso é inversão dos planos originais de Deus. Para que Adão não fosse solitário, Deus lhe concedeu Eva, para que povoassem o mundo. É a ordem perfeita de Deus, carregada de amor e satisfação.
Por que, então, ele entregou os homens a essas paixões, permitindo que invertessem sua ordem perfeita e boa? Deus fez com os homens o que eles tentaram fazer com Deus. Eles trocaram a glória de Deus, fazendo-o ser representado por aves e feras (conferir. v. 23); os homens trocaram a verdade de Deus em mentira (conferir. v. 25).
Tentaram inverter as normas de Deus, tentaram inverter o próprio Deus, representandoo como ele não é, então, ele usou da mesma artimanha com o homem, fez ele ser o que não é. Deus tratou os homens como eles o trataram. Essas duras palavras e ensinamentos mostram quão sério é o relacionamento com Deus e quanto é importante o culto que lhe devemos.
2.2 Há Esperança
            Apesar do homossexualismo ser uma prova da fúria de Deus sobre o mundo pecador e um ato condenável, indigno de misericórdia, ainda assim Deus prova o seu amor através de Jesus Cristo também aos homossexuais. Paulo apresenta a restauração que ocorreu em alguns irmãos de Corinto: "Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas... Tais fostes alguns de vós; mas vós vos lavastes, mas fostes santificados, mas fostes justificados em o nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus" (lCo 6.9,11).
Havia na igreja de Corinto ex-homossexuais. Portanto, é um estado reversível. Agora, um destaque importante é que a mudança do homossexualismo para o heterossexualismo é positiva, contudo, não é conversão por si só. Ser convertido pelo poder de Cristo é ser lavado, santificado e justificado pelo seu sangue, é um ato sobrenatural de Deus. É obra exclusiva dele que não pode ser realizada pelo homem.
Compete à igreja a preocupação e o empenho em buscar essas pessoas que estão perdidas. Todos os pecadores são convidados ao arrependimento. A mensagem do evangelho que deve ser apresentada ao homossexual é a mesma que apresentamos a qualquer outro pecador. A igreja precisa desenvolver seu papel evangelístico também nessa questão.
Quem se converte provará sua mudança de vida. Não existe "homossexual cristão", mas pode se tomar cristão quem abandonar o homossexualismo, crer e se entregar a Jesus Cristo.
 Qualquer que seja o vício ou os velhos hábitos cometidos, todo pecador arrependido certamente será salvo.
Assim como prostitutas, ladrões, mentirosos e pecadores em geral que entraram em contato com Jesus tiveram suas vidas transformadas, os homossexuais que se arrependerem e o confessarem como único Senhor também terão suas vidas radicalmente convertidas. Cristo se aproximou de pecadores (Mt 9.10-13; Lc 19.7ss), o que mostra que ele está acessível a todos.
Conclusão
Deus criou tudo com perfeição, zelo e amor. No entanto, o homem perverteu os santos planos de Deus para a humanidade. Por isso ele providenciou a vinda de Jesus Cristo, para restaurar e redimir a sua humanidade caída. Um desses itens de corrupção é o homossexualismo.
O homossexualismo diante de Deus é uma abominação, uma condição inaceitável. Ele não admite a perversão de seus planos. No entanto, quando os homens tentaram deturpar a adoração, Deus lhes sujeitou à deturpação também. Mas ele oferece libertação e salvação através de Jesus Cristo, que recebe todo pecador arrependido.
Aplicação
Sinta-se encorajado a evangelizar homossexuais. Não apóie, não seja condescendente, mas também não humilhe nem menospreze qualquer pessoa. Fale do plano maravilhoso de Deus para a salvação e de como Cristo está acessível para receber todo aquele que se arrepender de seus maus caminhos.
Caso você conheça algum homossexual, seja na universidade ou em seu trabalho, assuma o desafio e pregue o amor de Cristo a ele.
Autor: Gilmar de Araújo Marques
Fonte: Liça 9 da revista Nossa Fé - Atualidade, pg 31-34, editora Cultura Cristã. Compre esta revista trimestral em www.cep.org.br
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Contatos

Nome

E-mail *

Mensagem *

TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
DEMAIS IDIOMAS

LOCALIZAÇÃO E PAÍSES DOS VISITANTES

Copyright © Macelo Carvalho | Traduzido Por: Mais Template

Design by Anders Noren | Blogger Theme by NewBloggerThemes