Você é um miserável?

Há um tempo atrás, um grupo de pessoas de nossas igrejas aqui da região, resolveram visitar bairros rurais distantes, com moradias esporádicas e quase que isoladas do convívio urbano. Dentre as visitas que foram feitas, eles acharam a casa de uma senhora muito idosa que há muito tempo não conseguia mais ir à igreja mais próxima. Ressalte-se que, a igreja mais próxima ficava há muitos quilômetros da sua casa e estava quase fechando, devido à escassez de pessoas devido ao êxodo rural.

Quando os irmãos chegaram naquele lar, ficaram espantados: uma casinha de pau a pique, sem fogão, geladeira ou outro eletrodoméstico comum para nós. Uma senhora com muitas debilidades físicas, uma saúde abalada, uma situação de pobreza extrema. Mas qual não foi à surpresa desse grupo.
Ao perguntarem: “Dona Maria, como vai à senhora, como a senhora está?” Ela pronta e firmemente respondeu: “ Estou muito bem, e muito feliz com meu Jesus!”
Mas como assim, como pode? Como uma pessoa nessas condições pode transmitir paz, alegria e tranquilidade? De onde vem toda essa certeza, mesmo em meio a um aparente caos?
O fato é que o relato dessa irmã e seu exemplo de vida joga por terra todo o conceito furado que nossos teólogos da prosperidade têm difundido.

Além desse exemplo, claro, o que o sobrepõe é o de Cristo. Então vejamos:
Jesus não teve maternidade ou um simples berço. Nasceu em meio aos bichos, sem um lugar “digno” como nós classificaríamos. Não tinha uma equipe médica acompanhando, não teve um lugar mais confortável para ele e a sua mamãe.

Jesus não tinha mãe ou pai. Ele mesmo declara isso posteriormente. Maria e José o adotaram com todo o amor e carinho, porém não eram na legitimidade seus pais. “Minha mãe e meus irmãos são aqueles que fazem a vontade daquele que me enviou...” declara Ele. (Lc. 8:21)
Jesus não tinha uma casa ou cama. Quando o procuram com o intuito de segui-lo, ele logo adverte: “as aves tem ninhos, as raposas tem covis, mas Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça”. (mt. 8:20)

Jesus não tinha sequer um sepulcro. Até o mesmo era emprestado. Quando depois da sua morte, seu corpo ficou dependura no madeiro. Ele não pagava nenhum plano funeral, ou não tinha sequer uma gavetinha no cemitério local. Precisou um homem chamado José se compadecer e emprestar seu sepulcro, dando toda a assistência e cuidando do corpo para o sepultamento.

Enquanto você reclama da sua vida, e de tudo o que Deus tem te dado, o próprio Cristo abriu mão de tudo, por amor a você, murmurador.

De repente você não alcançou de Deus aquilo que você pediu. Pode ser que você esteja a procura da realização dos seus sonhos. Mas lembre-se que a felicidade não está naquilo que se possui, na quantidade de bens ou no seu poder financeiro. Assim como aquele jovem rico que procurou Jesus, muitos hoje acham que possuem tudo, mas na realidade não tem nada.

A paz, tranquilidade e felicidade do homem não vêm de outro lugar senão do próprio Cristo. Ele mesmo declarou: “Sem mim, vocês não podem fazer nada”; “Eu vim para lhes dar uma vida abundante”... – Jo. 15:5 e 10:10

Se não há Jesus na sua vida, se Ele não é seu Senhor e Salvador, você é o mais miserável dos homens.

Pense nisso.
Glórias, pois, a Ele.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Um comentário:

  1. Olá amigo Marcelo. Há muito tempo que as pessoas andam perdendo um pouco da sua identidade e referenciais, também se julgam no direito de julgar e ditar regras, precisa de argumentos para ainda chamar a atenção, a crendice é umas delas. Na verdade tudo que é diferente não se encaixa no comportamento de outras pessoas e por assim repudiado pela sociedade , somos por essência exigentes e fingidas , um ser com defeit como todo outro humano e não sinto-me um miserável. Abraços fraternos.Kaoma

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Contatos

Nome

E-mail *

Mensagem *

TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
DEMAIS IDIOMAS

LOCALIZAÇÃO E PAÍSES DOS VISITANTES

Copyright © Macelo Carvalho | Traduzido Por: Mais Template

Design by Anders Noren | Blogger Theme by NewBloggerThemes