O maior pecado.

João 16:8, 9
É natural quando pensamos em pecado maior, achar que o maior de todos os pecados é tirar a vida de alguém. Aprendemos isso através da religião de nossos pais; e muitas vezes ouvimos as pessoas dizendo que matar é um pecado mortal – que não tem perdão, pecado imperdoável. Será assim mesmo que a Bíblia ensina? O que dizer então do ladrão da cruz? Era homicida, mas mediante o arrependimento fora perdoado por Jesus. Qual é então o pecado maior, que não tem perdão? Seria a blasfêmia contra o Espírito Santo? Pois a bíblia diz que todos os pecados são perdoados mediante o arrependimento, menos a blasfêmia contra o Espírito Santo. “Até a blasfêmia contra mim, ou qualquer outro pecado, podem ser perdoados – todos, menos um: blasfemar contra o Espírito Santo nunca será perdoado” Mat.12:31. Mas o que seria a blasfêmia contra o Espírito Santo?
Creio ser bem interessante nosso assunto hoje à noite, e nos levará a uma profunda reflexão espiritual. Quem sabe há pessoas aqui achando que um assassino não é digno de perdão, ou um seqüestrador não é digno de perdão, ou mesmo um adultero, pois cometeu um pecado mortal. É certo que há pessoas aqui, que nunca cometeram um desses pecados, mas estão vivendo uma situação muito pior do que o pior dos assassinos que pisou neste mundo, porque estão cometendo o pecado maior, que é imperdoável. É sobre isso que queremos discorrer esta noite.
Bem no final do capitulo 15 do evangelho de João, Jesus começou a conversar com seus discípulos sobre as coisas que aconteceriam com Ele e com eles também. “Eu escolhi vocês, não foram vocês que escolheram a mim; eu quero que vocês amem uns aos outros, pois vocês já receberam muito ódio do mundo. Vocês se lembram do que eu lhes disse? Um escravo não é maior do que o seu Senhor! Portanto, já que eles me perseguiram, naturalmente perseguirão vocês. Porém Eu enviarei o Consolador a vocês – o Espírito Santo, a fonte de toda a verdade. Ele virá do pai para vocês e dirá tudo a meu respeito. E vocês também devem falar as pessoas a meu respeito, porque vocês tem estado comigo desde o começo”.
“Eu lhes disse estas coisas para que vocês não fiquem abalados por tudo o que virá depois. Porque vocês serão expulsos das sinagogas, e na verdade está chegando o tempo em que aqueles que matarem vocês pensarão que estão prestando um serviço a Deus. Eu estou dizendo estas coisas agora, para que quando elas acontecerem, vocês se lembrem que Eu vos avisei”. E dentro desse lindo conselho aos discípulos ele fez a promessa da vinda do Espírito Santo. “E quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça de Deus e do juízo. O pecado do mundo é a falta de crença em mim”. 8, 9.
I – O que não é: o maior pecado.
Não é fazer caso omisso de tal ou qual mandamento, deixando de cumprir os preceitos da lei, como: Honra a teu pai e a tua mãe; não matarás; não adulterarás; não furtarás; não dirás falso testemunho; etc. Quantas pessoas ficam acusando aqueles que num deslize da vida cometeram um pecado desses?
Jesus foi muito além do ato de matar ou adulterar. Ele disse que se alguém sentir ódio de outra pessoa, é assassino. Essa foi a compreensão dos discípulos: “Qualquer um que odeia a seu irmão em Cristo já é, na realidade um assassino no coração..” I João 3:15. Em seu coração já cometeu homicídio. E quanto ao adultério Jesus disse: “As leis de Moisés diziam: Não cometa adultério. Porém eu digo: Qualquer um que até mesmo olhar para uma mulher com cobiça nos olhos, em seu coração já cometeu adultério com ela” Mateus 5: 27, 28. No coração a gravidade do pecado é a mesma que no ato. O maior pecado não está em deixar de cumprir um desses mandamentos da lei.
II – O que é, então, o maior pecado?
É em termos gerais uma ofensa a pessoa de Cristo. É a incredulidade quanto a pessoa de Cristo, seu ministério e suas palavras. Não se trata da negação da existência de Jesus Cristo, nem da negação de sua bondade, nem de que fora o melhor dos homens que pisou na face da terra, nem de que fora um grande Mestre. Tudo isso se pode crer, afirmar e proclamar, e não obstante, viver no pecado dos pecados – que é a incredulidade. Vamos ao que diz Aurélio sobre a incredulidade “Falto de crença, ímpio, próprio de quem não crê, de quem está duvidoso, ateu”.
Em que consiste então este pecado?
a) O maior pecado consiste em não crer que Cristo é o que dizia ser – Mestre, imaculado, caminho único para o céu, ressuscitado dentre os mortos, Juiz da humanidade. É possível que uma pessoas esteja dentro da Igreja, mas vivendo no maior pecado. Quantos estão lendo a Bíblia e duvidando das palavras de Jesus? Essa situação é pior do que a situação de alguém que um dia cometeu um deslize na vida, mas que se arrependeu e crê em Jesus. Há incrédulos que olham para os outros pecadores com pena, como se nada tivesse acontecendo com sua própria vida; devia ter pena de si próprio, pois está vivendo no maior de todos os pecados, e enquanto não mudar de posição está cometendo o pecado imperdoável.
b) O maior pecado consiste em não crer que Jesus ressuscitou dentre os mortos como prova das verdades divinas que Ele mesmo havia proclamado. Há muita gente que admira os ensinos de Jesus, mas que não acreditam que Ele ressuscitou dentre os mortos, que Ele vive, como Ele mesmo diz: “Quando eu o vi, caí aos pés dEle como morto; porém Ele pos a mão direita encima de mim e disse: Não tenha medo! Eu sou o primeiro e o último, o vivente que morreu, que agora está vivo para sempre, que tem as chaves do inferno e da morte – não tenha medo!” Apocalipse 1:17, 18. Não acreditar na ressurreição de Jesus é estar cometendo o maior de todos os pecados, é viver em situação pior do que de um assassino.
c) O maior pecado consiste em não aceitar a Jesus pessoalmente como redentor e salvador único, e como Senhor soberano. Note bem, pois, que este pecado dos pecados é uma condição da alma, um estado da vontade, mais do que um feito palpável. É um estado deplorável que acusa inimizade para com Deus.
III – Por que é considerado o maior de todos os pecados?
a) Porque a incredulidade é a fonte de todos os demais pecados. Se não fora a incredulidade às verdades divinas não existiriam tantas crenças profanas e mortais. O resultado mais visível da incredulidade se expressa na idolatria praticada em todo o mundo. E o próprio Deus adverte: “Os idólatras não entrarão em meu reino”.
b) Porque a incredulidade é a barreira mais tenaz que se levanta entre a pessoa e a obra de Jesus Cristo, diminui seu testemunho, repudia seu amor, trata de mentirosa sua instrução, menospreza suas obras, insulta seu caráter. Isso foi visto, e como resultado da incredulidade, do autor do filme “A última tentação de Cristo”. Creio ser o extremo daquilo que a incredulidade pode fazer na vida de uma pessoa. Ou o próprio Neemias Mariens, que chegou ao topo de sua incredulidade, usando a Bíblia para defender o homossexualismo. A incredulidade procura por todos os meios diminuir o testemunho de Jesus. A incredulidade repudia seu grande amor, de ter dado sua vida em resgate de muitos, onde Ele mesmo testemunhou: “Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém sua vida pelos seus amigos”. A incredulidade trata de mentirosa a sua instrução, tenta colocar por terra tudo que Jesus ensinou. A incredulidade menospreza a obra maravilhosa que realizou na vida de centenas e milhares de pessoas, e ainda o faz. A incredulidade tenta por todos os meios insultar o caráter de nosso Senhor. Mas não podemos esquecer que Ele desafiou as pessoas a encontrarem nEle algum pecado, algum erro “Quem dentre vós me convence de pecado?”
c) Porque o destino eterno do homem depende de sua fé ou de sua incredulidade. Segundo o que pensa ou faz de Cristo, determina seu destino eterno. Todos os demais pecados se podem perdoar, porém, quando é pecado obstinado contra o testemunho e a prova convincente do Espírito Santo, nunca se perdoará. Os incrédulos jamais entrarão no reino de Deus. “Ficarão de fora os cães, os feiticeiros, os incrédulos, os idolatras…”.
Poderia se encontrar a alma na presença do mesmo salvador e não amá-lo; contemplar Sua formosura, Sua paixão e Sua glória, sem corresponder a isto; ouvir Sua chamada e não lhe atender a voz; reconhecer-LHE a santidade e a formosura de caráter, e voltar-lhe as costas com desprezo, isto é terrível, é o pecado dos pecados.
Podia-se chamar isso de blasfêmia contra o Espírito Santo, pois é resistência absoluta e total à Sua voz meiga e suave, amorosa, que sempre está a chamar: “Vinde a mim todos vós que estais cansados e oprimidos e eu vos aliviarei” Mat. 11;28. Ou ainda: “Eis que estou à porta e bato, se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa, cearei com ele e ele comigo” Apoc. 3:20.
Não conheço sua vida, não como está seu coração em relação a Deus! Mas se tens vivido o maior de todos os pecados – a incredulidade – é hora de pedir perdão ao Senhor antes que seja tarde. “Que é que nos leva a pensar que podemos escapar, se formos indiferentes a essa grande salvação anunciada pelo próprio Senhor Jesus, e que nos foi transmitida por aqueles que O ouviram falar?” Heb. 2:3 Ou como está escrito: “Nunca se pode agradar a Deus sem fé, sem confiar nEle. Qualquer que queira ir a Deus deve crer que existe um Deus e que Ele recompensará aqueles que sinceramente O procuram” Heb. 11:6.
Quero convidá-lo a crer em Deus e em Jesus neste momento. Saia da incredulidade através de sua varias manifestações e entregue-se completamente a Jesus!

Autor: Pr. Cirino Refosco
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Contatos

Nome

E-mail *

Mensagem *

TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
DEMAIS IDIOMAS

LOCALIZAÇÃO E PAÍSES DOS VISITANTES

Copyright © Macelo Carvalho | Traduzido Por: Mais Template

Design by Anders Noren | Blogger Theme by NewBloggerThemes